sábado, 21 de abril de 2007

Sábado à noite

by P@ulo Monti

Choro, hoje, todas as lágrimas
Para que não as chores, amanhã.
Meu pranto confunde-se
Com a chuva que cai:
Ao longe, um som de sax me consola
E tráz, outra vez, o gosto do teu beijo.
Assim, desvelo-me,
Rompo meu espaço interno.
Poemas feito cometas
Singram meu tempo sem ti.
Segues sem saber-me
Enquanto ardo, num mudo pedido de socorro:
Ai de mim!
Barco à deriva,
Sem porto, sem farol,
Sem rumo ou direção.

terça-feira, 17 de abril de 2007